segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Receitinhas: Fast Food do Bem - Dra. Jackeline Taglieta

Você tem criança em casa que não pode ver um “verdinho” no prato que já não come todo o restante da comida? Ou sua criança come bem verduras e legumes mas você quer incrementar e deixar a comida do dia-a-dia mais atrativa aos olhos dela? Confira essas receitas de “Fast Foods” que as crianças adoram e nem dirão “eca” para o espinafre, abobrinha e cogumelos que terão acabado de comer! Ah, os adultos podem se deliciar também junto às crianças!! Bom apetite e ótima saúde para toda família!!

NUGGETS DE TOFU
(com espinafre ou brócolis)

Ingredientes
1 xícara (chá) de farinha de rosca integral
1 colher (sopa) de linhaça moída
1 colher (sopa) de parmesão ralado light
½ colher (chá) de páprica
1 xícara (chá) de espinafre cozido e amassado até virar purê (ou brócolis)
1 ovo caipira grande, ligeiramente batido
400g de tofu firme (de preferência orgânico)
½ colher (chá) de sal marinho
Óleo de canola ou soja para untar
1 colher (sobremesa) de azeite de oliva extravirgem

Modo de preparo
Em uma tigela, misture a farinha de pão, linhaça, parmesão e a páprica. Reserve. Em outra tigela, misture o purê de espinafre com o ovo, batendo com um garfo. Reserve.
Corte o tofu em cubos (ou use cortador de biscoito, com formatos divertidos). Polvilhe ambos os lados com sal. Mergulhe os pedacinhos de tofu na mistura de ovo e espinafre, e depois passe cuidadosamente na farinha temperada, para esconder o purê.
Unte uma frigideira grande com óleo e leve para aquecer em fogo médio. Quando esquentar, acrescente o azeite. Distribua o tofu aos poucos na frigideira, sem sobrepô-los (e não encha demais a frigideira). Doure por 3 a 4 minutos de uma lado, vire-os e doure o outro lado por mais 2 a 3 minutos, até ficar crocante e uniforme.
Rendimento: 4 porções
Receita adaptada do livro Deliciosos e Disfarçados – Jessica Seinfeld - 2008


HAMBURGUNHOS
(com cogumelos e abobrinha)

Ingredientes
450g de carne moída magra
225g de champignon frescos (cozidos no vapor) ou cogumelo shitake (aparados e picadinhos)
1 xícara (chá) de farinha de rosca integral
¼  xícara (chá) de abobrinha picadinha
1 colher (sopa) de molho inglês
2 colheres (sopa) de catchup
½ colher (chá) de sal marinho
1 pitada de pimenta
Óleo de canola ou soja para untar
1 colher (sobremesa) de azeite de oliva extravirgem
16 pãezinhos de hambuguer (de preferencia integrais) para servir, com folhinhas de alface e tomate fatiado.

Modo de preparo
Em uma tigela, misture bem a carne, a farinha de pão, os cogumelos, a abobrinha, o molho inglês, o catchup, o sal e a pimenta. O resultado é uma massa úmida. Modele os 16 hamburguinhos e deixe descansar em papel manteiga.
Unte uma frigideira grande com óleo e leve para aquecer em fogo médio. Quanto estiver quente, coloque o azeite e frite os hambugueres, de 4-5 minutos de cada lado, até que estejam completamente cozidos no centro. Servir com os pãezinhos, alface e tomate. Pode variar, colocando pepino, cenoura também como recheio.
Dica: ao invés de ser usado para sanduichinhos, pode ser o prato principal, acompanhado de arroz integral e feijão, por exemplo.
Rendimento: 16 unidades pequenas
Receita adaptada do livro Deliciosos e Disfarçados – Jessica Seinfeld - 2008

Jackeline Taglieta
Nutricionista

sábado, 14 de fevereiro de 2015

Experiências Científicas Em Casa: Chuva!

Que tal aproveitar a época de chuvas para fazer algumas experiências científicas com as crianças? E o melhor, você pode fazer tudo no conforto da sua casa, com materiais que você já tem. A dica é da Revista Recreio, que ensina dois experimentos para entender como a chuva funciona. Confiram:

Faça um barômetro em casa

Materiais:
  • 1 pote plástico
  • Massa de modelar
  • 1 régua
  • Água
  • 1 garrafa pet
  • 1 tira de papel
  • Fita adesiva
Como fazer:
  1. Prenda a massinha no canto do pote e fixe a régua na massinha.
  2. Encha o pote com 8 centímetros de água e a garrafa com mais ou menos dois terços.
  3. Tampe a garrafa com a mão e, com cuidado, vire-a de cabeça para baixo no recipiente.
  4. Cole a tira de papel na garrafa e marque o nível de água dia a dia.
O que acontece: o barômetro mede a pressão atmosférica. Se o clima está seco, o nível da água sobe, porque a pressão aumenta e empurra a água. Já quando o clima está úmido, a pressão diminui e o nível de água desce. Aí há boa chance de chover.



Entenda a evaporação da água

Material:
  • 2 potes de vidro
  • Giz de cera ou caneta permanente
  • Papel-alumínio
Como fazer:
  1. Coloque água até a metade dos potes e marque os dois níveis de água com giz.
  2. Cubra um dos potes com papel-alumínio e deixe os dois em um lugar aberto por cinco dias. Não deixe que a chuva caia dentro dos potes!
  3. Compare e note que o pote coberto terá mais água.
O que acontece: com o calor, a água dos dois recipientes evapora. No pote coberto, o papel-alumínio impede o vapor de escapar. Aí ele se condensa, mantendo o nível de água. Já com o pote descoberto acontece o mesmo que com as poças de água formadas pela chuva: o calor faz com que evaporem.


sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Ensine seu filho a fazer trocas e faça com que ele tenha uma alimentação mais saudável

Somos um exemplo para os nossos filhos, por isso, se nos alimentamos de forma errada os nossos filhotes farão o mesmo. Manter uma alimentação saudável e regrada é essencial para adultos e crianças, ainda mais com a obesidade infantil crescendo cada vez mais no mundo. Dados da Organização Mundial de Saúde apontam que a doença deve alcançar 75 milhões de crianças nos próximos 10 anos.

Além disso, cada vez mais cedo as crianças estão apresentando patologias como o diabetes do tipo 2, doenças cardiovasculares, e as psicológicas, como depressão e transtornos de ansiedade. Alguns problemas podem ser revertidos com uma alimentação saudável e atividades físicas, e claro, um acompanhamento médico sempre é essencial.

Para tornar essa etapa mais fácil para o seu filho, e também para você, comece fazendo pequenas trocas na alimentação. Elas podem significar muitos ganhos e ainda uma mudança de hábitos que começa aos poucos mas que vai dar muitos resultados.

- Refrigerante x Sucos Naturais: Além de não ter valor nutricional, os refrigerantes contém sódio e açúcares em excesso. O consumo de sucos naturais, com pouco ou sem açúcar, é uma forma de garantir que as crianças recebam os nutrientes das frutas e se acostumem com seu sabor.

- Bolachas Recheadas x Frutas : Os biscoitos são práticos, mas também são ricos em gorduras, açúcares e sódio e não contêm quantidade acentuada de vitaminas e minerais. Frutas como as uvas são fáceis de comer e contêm vitamina C, vitaminas do complexo B e sais minerais como ferro, cálcio e potássio.

- Salgadinhos x Frutas Cortadas: Tirar os salgadinhos industrializados da dieta das crianças é também outra oportunidade para inserir as frutas. Além de nutritivas, melão, melancia, banana e maçã cortadas em pequenos pedaços podem ser divertidas.

Fonte: Blog Xalingo

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Que Monstro Te Mordeu?

"Toda vez que uma criança desenha um monstro em nosso mundo, esse monstro ganha vida no Monstruoso Mundo dos Monstros, provocando caos e confusão por onde passa. Neste mundo desordenado caberá a Lali e seus amigos monstruosos resolver a confusão instaurada e ainda aprender algo com a missão."

"Que Monstro te Mordeu?" na TV 
> na TV Cultura de segunda a sexta às 19h30 (episódios inéditos), e 11h30 (reprise).
> na TV Rá-Tim-Bum: às 13h30 e às 20h30.

"Que Monstro te Mordeu?" na internet (NO AR!):
> Nosso monstrocanal de YouTube lançará a partir do dia 10 de Novembro, 50 episódios exclusivos pra internet, com duração aproximada de 3 minutos cada.
INSCREVA-SE: youtube.com/quemonstrotemordeu


segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Dica de Leitura: Marcelo, Marmelo, Martelo

Marcelo, Marmelo, Martelo e Outras Histórias, de Ruth Rocha
e ilustrações de Adalberto Cornavaca, (Editora Salamandra)



O livro tem três histórias: Marcelo, Marmelo, Martelo, Teresinha e Gabriela e Os Donos da Bola. Nelas, os leitores conhecem crianças que se deparam com reveses comuns no universo infantil, como a dificuldade de diálogo entre adultos e crianças. Os desenhos expressam a vivacidade e inocência que envolvem estas lições.

Veja um trecho do livro abaixo:


sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

7 momentos prazerosos para viver em família

Você tem passado tempo suficiente com sua família? Se a resposta foi "não", saiba que mesmo em meio à correria do dia a dia é possível reservar algum momento para realizar atividades com essas pessoas tão queridas. Brincadeiras divertidas e dicas simples de Feng Shui, aromas e cores podem ajudar a estreitar os laços com os familiares, encurtar distâncias e ainda oferecer mais bem-estar para sua vida.

Abaixo você encontrará sugestões simples de colocar em prática para reunir a família em atividades nas quais todos podem participar e, principalmente, se divertir. Não importa se você não tem filhos ou se eles já estão chegando à adolescência ou vida adulta. Quando toda a família está reunida é possível resgatar um pouco da infância de cada um e explorar de forma divertida e bem humorada os encontros familiares.

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

20 Dicas Para Divertir As Crianças - Parte II

11. Corrente de histórias
Essa atividade estimula a memória e a criatividade, desinibe e, o que é melhor, pode acontecer em qualquer lugar, até no carro. Comece com "era uma vez" e lance a bola para que as crianças continuem a história. Cada uma conta um pedaço e passa adiante. Se tiver chance, ponha tudo no papel e leia para elas depois. Com certeza renderá boas gargalhadas, já que as tramas costumam ficar sem pé nem cabeça.

12. Dança das cadeiras diferente
A brincadeira continua um sucesso, desenvolvendo a coordenação, o ritmo, a concentração e a agilidade. E a regra também não mudou nadinha: as crianças correm ao redor das cadeiras e, quando a música pára, tentam sentar - como sempre falta um lugar, um participante cai fora a cada rodada. Mas você não precisa desmontar a sala ou levar a mobília para o playground. Recorte círculos ou quadrados de cartolina colorida e fixe as figuras no chão com fita crepe. No calor, que tal trocar o papel por bacias cheias de água? A garotada certamente vai se esbaldar. Antes, porém, certifique-se de que o piso seja antiderrapante.

13. Eu vejo...
Boa pedida para os que têm entre 2 e 7 anos e precisam gastar energia. Num lugar espaçoso, como uma praça, diga: "Vejo uma coisa amarela" ou "Vejo uma coisa fina e comprida". A criança deve localizar o objeto e correr para tocá-lo. Além de se exercitar, ela aprimora a percepção e trabalha conceitos como grande ou pequeno, fino ou grosso, alto ou baixo e longe ou perto.

14. Olho vivo
O ambiente ideal é uma sala repleta de móveis e enfeites - mas fique tranqüila, seus bibelôs vão permanecer intactos. Diga à criança para observar atentamente o cômodo e, depois, se retirar. Esconda então um dos objetos e desafie-a a descobrir o que está faltando. É um jeito dinâmico de aprimorar a atenção, a concentração e a memória, ideal para maiores de 7 anos.

15. Adivinhe o que eu tenho aqui
Separe objetos de materiais, tamanhos e pesos diferentes: uma bolinha, uma colher de pau, uma caixa de fósforos. Mostre para as crianças. Sem que vejam, coloque um deles num pote de plástico opaco, grande o suficiente para permitir que balance e peça que, pelo barulho, adivinhem o que há lá dentro. Boa maneira de exercitar a percepção auditiva.

16. Eu sou assim
Deite seu filho sobre uma grande folha de papel e risque o contorno do corpo dele. Depois peça que complete a figura - dos 3 aos 6 anos, é um ótimo exercício de reconhecimento do esquema corporal. Dica: deixe um espelho por perto para consultas eventuais. Se a brincadeira for em grupo, misture os desenhos no final e desafie as crianças a identificar quem é quem.

17. Piquenique
Que tal um lanche ao ar livre? Pode ser no jardim, na praça ou num cantinho do playground. A diversão começa na cozinha. Coloque fatias de pão de fôrma, frios fatiados e outros ingredientes numa mesa e peça que cada um prepare seu sanduíche, embale em saquinhos de papel e escreva seu nome. Para crianças de 4 a 9 anos, é uma maneira deliciosa de estimular a coordenação motora fina, a organização e a capacidade de escolha.

18. Mosaico de papel
Quem não gosta de picar papel? Com uma tesoura ou as mãos, reduza revistas velhas a quadradinhos de tamanho regular - crianças mais velhas podem se encarregar da tarefa. Ponha o material em potes, forneça folhas de papel e cola branca (fica mais fácil usar com pincel) e deixe que soltem a imaginação formando e preenchendo figuras.

19. Massinha para os miúdos
Modelar exercita a musculatura das mãos e a coordenação motora fina. Esta receita é muito fácil e não representa risco para os pequenos, que põem tudo na boca: numa tigela, junte 1 xícara de sal refinado com a mesma medida de farinha de trigo. Acrescente água aos poucos e vá amassando até que a mistura fique homogênea, sem grudar nas mãos - você pode tingi-la com suco artificial em pó. Dura três dias, guardada na geladeira em saco plástico.

20. Vira bicho
Entre 2 e 5 anos, os pequenos adoram animais. Depois de contar histórias sobre bichinhos, proponha uma dramatização com máscaras. Você só vai precisar de pratinhos de plástico de festas infantis: faça furinhos para os olhos e deixe que criem as carinhas com tinta e colagem. As máscaras podem ser usadas com elástico ou palitos de sorvete. Enquanto se fantasiam, eles aprimoram o vocabulário, a memória, a concentração e a percepção.



(Fonte: Site da Revista Cláudia)

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

5 Ações Diárias

Uma ONG britânica, após um estudo, criou uma lista de cinco ações diárias que os pais devem fazer para aumentar a chance de sucesso dos seus filhos. Veja quais são:

* Ler para seu filho por 15 minutos.

* Brincar com ele no chão por 10 minutos.

* Conversar com seu filho por 20 minutos com a TV desligada.

* Ter atitudes positivas em relação ao ele, e elogia-lo com frequência.

* Dar ao seu filho uma dieta que ajude seu desenvolvimento.



Essas atividades são importantes para o desenvolvimento físico e psicológico da criança e, segundo a ONG, aumenta a sua mobilidade social.

Essas ações podem ser encaixadas na rotina de pais, mesmo daqueles que têm um dia-a-dia atribulado, pois levam apenas 45 minutos. Além, claro, da adoção de uma postura positiva, inclusive em relação a alimentação, assunto que é uma grande preocupação atual.


domingo, 1 de fevereiro de 2015

Alimentação e Autismo - Dra. Jackeline Taglieta

Alimentação e Autismo: alguma ligação?

O autismo é uma doença crescente o que demostra que componente genético não é sua única causa e, assim, a influência do ambiente no seu desenvolvimento vem sendo amplamente investigada.

Sabe-se que alterações cerebrais podem ocorrer por atuação de substâncias tóxicas, inflamatórias e alergênicas, levando à quadros de autismo.

A investigação de hipersensibilidades alimentares (alergias tardias), intoxicação por metais pesados (chumbo, cádmio, alumínio...), e alterações intestinais (como disbiose, proliferação de fungos, hipermeabilidade) são o início do tratamento nutricional do paciente autista, o qual precisa ser totalmente individualizado de acordo com a história clínica e individualidade bioquímica do paciente.

Os alimentos alergênicos mais comumente relacionados com quadros de hipersensibilidade alimentar em pacientes autistas são os que contém glúten (trigo, aveia, centeio e cevada, centeio, aveia) e caseína (laticínios), mas outros alimentos também podem estar envolvidos, como ovo, milho, soja, tomate, berinjela, abacate, castanhas e nozes.

Alimentos ricos em aditivos alimentares (corantes, conservantes, aromatizantes, adoçantes) também podem provocar estímulos cerebrais inadequados, e portanto, devem ser minimizados na alimentação do autista; além de outros estimulantes, tais como bebidas e alimentos fontes de cafeína e açúcar.

Outro ponto importante é evitar estados hipo ou hiper glicêmicos  (queda e pico de glicose no sangue, respectivamente). Assim, é imprescindível que a dieta do autista seja balanceada e distribuída a cada 3 horas ao longo do dia, evitando-se doces e alimentos feitos de farinha refinada.

Um alimentação mais natural, rica em frutas, verduras, legumes e sementes, priorizando cereais livres de glúten e minimizando consumo de laticinios, beneficia o paciente autista por dar condições de o organismo eliminar mais facilmente as toxinas cerebrais, manter a glicemia mais estável, favorecer a saúde intestinal e reduzir o estado inflamatório / alergênico, favorecendo, portanto, a normalização das funções cerebrais, a médio e longo prazo.

A alimentação se mostra cada vez mais ser um pilar de suma importância no tratamento do autismo, por melhorar as funções cerebrais e o organismo do paciente como um todo, bem como por otimizar a resposta do mesmo às demais intervenções da abordagem multiprofissional.

Jackeline Taglieta - Nutricionista
www.jackelinetaglieta.com.br // (19) 8176-9492

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Dica de Passeio: Parque do Mirante

A área do Mirante foi desapropriada em 1895. Apesar disso, a atual construção que conhecemos surgiu apenas em meados dos anos sessenta, na gestão do prefeito Salgot Castillon. Sem dúvida, é um dos pontos preferidos para visitação, tanto pelos turistas quanto pelos moradores da cidade, devido á visão privilegiada que se tem do rio, do salto, da Rua do Porto e da cidade.



Considerado um pequeno bosque formado por árvores nativas e vegetação típica, possui alamedas que permitem caminhadas agradáveis e apreciação do seu interior, que retrata a história de Piracicaba. Um painel confeccionado em mosaico da artista Clemência Pizzigatti também faz parte de seu atrativo turístico pela sua beleza e riqueza de detalhes históricos que são retratados.





O Parque do Mirante contorna toda a extensão do Salto, proporcionando uma visão panorâmica da cachoeira "Véu da Noiva" e das curvas do rio. Recentemente o parque foi restaurado e revitalizado.