quarta-feira, 1 de julho de 2015

Circuito de Férias "O Mundo dos Dinossauros"

O Shopping Piracicaba será palco de um circuito de férias que promete inspirar crianças e adultos numa verdadeira viagem pelo tempo. A atração O Mundo dos Dinossauros segue até 26 de julho com animais pré-históricos espalhados pelos corredores e Praça de Eventos Norte (expansão).

O Mundo dos Dinossauros aguça a curiosidade pela ciência e evolução das espécies em um universo divertido e cheio de magia, com réplicas eletronicamente animadas em exibição por todo o Shopping Piracicaba. Entre as espécies, os famosos Tiranossaurus Rex, Velociraptor e Pterosaurus serão acompanhados de Parasaurolophus, Maiasaura, Stegosaurus, Apatosaurus, Angaturama e Allosaurus, além de ovos de dinossauros que se mexem e disponíveis para foto. Também ficará exposto um esqueleto e um portal em formato de uma boca gigante de Tiranossaurus. 


O  circuito também  inclui um Cine 7D  e o Dino Rider (atrações pagas  – R$ 10  por atração), um dinossauro mecatrônico, em que as crianças podem subir em suas costas e simular um passeio. Para deixar tudo ainda mais especial, haverá um quiosque com produtos e brinquedos. 

O Mundo dos Dinossauros funciona no mesmo horário do  Shopping Piracicaba, de segunda a sábado, das 10 às 22 horas, e domingos e feriados, das 11 às 22 horas. 


E para começar bem o período de férias da garotada, iremos presentear três leitores do nosso blog com um ingresso cortesia para o Cine 7D! 

Deixe aqui um comentário com seu nome e e-mail, e conte pra gente qual é o dinossauro preferido da criançada. O resultado será divulgado no dia 06 de julho.

sábado, 30 de maio de 2015

A importância do carinho para os pequenos

O que é carinho para você? Segundo o dicionário, vale de tudo: pode ser um gesto, um olhar, palavras e exemplos. Segundo René Spitz, em seu livro O Primeiro Ano de Vida, ao nascer, o ser humano é totalmente incapaz de sobreviver por si só, dependendo inteiramente de outra pessoa. O psicanalista, um dos primeiros a utilizar a observação das crianças para descrever as etapas da evolução de seu comportamento, constatou que as trocas e interações com a mãe levam à conquista de novas habilidades. Além disso, ajudam a criança a desenvolver seus próprios mecanismos de defesa, iniciando-a enquanto ser social.

Segundo estudo da Academia Nacional de Ciências, o carinho aplicado em uma criança muda, de forma sutil, a maneira como seu cérebro se desenvolve. Se há a carência, mais tarde, já na fase da adolescência ou na idade adulta, isso pode resultar em ansiedade e dificuldades de se relacionar. Isso acontece porque o amor dos pais e responsáveis é vital para o desenvolvimento das regiões do cérebro associadas com o estresse e a formação de laços sociais, descobriram os pesquisadores. Além disso, brincadeiras, passeios, jogos, canto e dança estimulam a criança a explorar o mundo a sua volta, o que impacta diretamente no seu desenvolvimento.

Bons exemplos

Você já percebeu como o seu filho copia, muitas vezes, exatamente o que você faz? Seja na forma de falar ou andar, as crianças são miniaturas dos pais, reproduzindo os valores passados em casa em seu dia a dia. Por isso, o carinho é tão importante na primeira infância. É lá que os pequenos começam a receber os exemplos e a copiá-los em seu dia a dia.

Dando carinho, é possível ajudar diretamente na construção de um mundo melhor, interferindo na formação da criança. Você já abraçou o seu filho hoje? =)

quarta-feira, 27 de maio de 2015

10 dicas para agilizar o preparo das refeições

Em 2011, quando Eduardo tinha 6 meses, a estudante de gastronomia Thais Ventura, 32 anos, como toda mãe de primeira viagem, começou a se questionar sobre quais papinhas devia oferecer ao filho. Pesquisava muito na internet, mas era difícil encontrar as receitas práticas e saudáveis que desejava. Foi então que teve a ideia de criar o blog As Delícias do Dudu, onde uniu seu amor à culinária com a responsabilidade da maternidade. Ela compartilha receitas fáceis e nutritivas, com aquele sabor de mãe. Confira algumas ideias para simplificar o preparo das refeições.

- No domingo, planeje o cardápio da semana. Isso ajuda a ganhar tempo.

- Dedique parte de suas horas livres à preparação de alimentos caseiros e congele em pequenas porções, para usá-los ao longo do mês. Por exemplo: molho de tomate, feijão etc.

- No liquidificador, bata frutas com um pouquinho de água e congele a mistura. Basta adicionar essa polpa a um litro de água para fazer suco.

- Prepare massa de pão de queijo com antecedência e congele em pequenas bolinhas. É uma boa pedida para o lanche da tarde: basta assar.

- Troque temperos prontos por feitos em casa. Os caldos caseiros de carne, frango e peixe podem ser congelados em formas de gelo ou copos de café, e rendem bastante.

- Em um processador, bata um quilo de alho sem casca, azeite e pitadas de sal. Coloque em um pote com tampa e armazene na geladeira.O tempero dura até um mês.

- De vez em quando, troque o suco pela fruta in natura. Além de mais saudável, você economiza tempo.

- Assim que chegar do supermercado, lave todas as folhas, como rúcula, alface, espinafre, e guarde-as em potes com tampa na geladeira. Na hora das refeições, basta temperar.

- Legumes podem ser pré-cozidos por três minutos, passados em água gelada e congelados. Isso facilita o preparo quando você desejar usá-los.

- Prefira comprar carne fresca. Separe pequenas porções dentro de sacos plásticos e congele. Assim, você só usa a quantidade que precisa.


sexta-feira, 22 de maio de 2015

O que você ainda não sabe sobre a maternidade

Desde muito jovens as mulheres são bombardeadas por perguntas e opiniões sobre quando serão mães ou como viverão a maternidade. E por isso estão acostumadas a ouvir certa "voz" sempre que tais exigências aparecem em suas vidas. Mas o que diz essa voz? Ao começar a refletir, lembrei-me das mulheres que namoram pessoas que têm filhos de outro relacionamento, acabam sem saber como agir com os enteados e se questionam: "Quero ser madrasta?". Isso sem falar das mulheres que não querem ser mães e ouvem coisas do tipo: "Você não será nunca uma mulher completa assim". Lembrei, ainda, das que sonham acima de tudo com a maternidade e questionam se darão conta da vida profissional. E outras que são criticadas por querer uma produção independente ou aquelas que se sentem culpadas por não serem mães perfeitas.

O objetivo dessa reflexão não é responder todas essas exigências, nem contradizer nenhuma delas em definitivo. Mas que bom seria se conseguíssemos flexibilizar um pouco tais "normas", tirando o peso que é encarar a maternidade como um roteiro pré-fixado e pré-conceituado, inclusive financeiramente. Quer ver um exemplo? Na Islândia, as mulheres têm filhos desde muito novas e o país tem a maior taxa de natalidade, de mulheres que trabalham fora de casa e de divórcios da Europa. E elas seguem tendo filhos com outros parceiros. De acordo com o jornal El País e uma pesquisa sobre felicidade, publicada no jornal "The Guardian", a Islândia é um dos países mais desenvolvidos do mundo e com a taxa de felicidade mais alta da Terra. Sabendo disso, as nossas normas sobre quando e como ser mãe não parecem mais assim tão certeiras. Por isso, se ao final do artigo esse sentimento de flexibilidade for alcançado e compartilhado entre mulheres e homens, será muito bem-vindo.

Lado negativo da maternidade costuma ser negado

De início, há uma nota mental a ser guardada: ser mãe não é um estado homogêneo, natural, nem imanente a todas as mulheres. Ninguém é obrigado a assumir o papel de pai ou mãe quando não sente vontade de fazê-lo, assim como não existe uma receita de boa mãe quando o quesito é gerar ou criar um filho. Já que não somos naturalmente destinadas para tal estado, o importante é estar consciente das suas capacidades e limitações e ser honesta consigo mesma antes de tomar qualquer atitude. Cientes da decisão de ser mãe como desejo e possibilidade, e não como fruto de pressões sociais, seguimos.

Maternidade não é só coisa boa, ainda que em um primeiro momento não pareça assim, já que o conceito está associado a algo até mesmo santificado.

As relações superficiais que estabelecemos facilitam que o tema seja visto dessa maneira parcial, as pessoas lembram que a maternidade tem um lado positivo sim, mas seu lado negativo costuma ser negado. Assim, a obrigação vai além e torna-se quase moral: não apenas tem que ser mãe, mas tem que ser uma boa mãe - seguindo requisitos sobre-humanos e de certa forma arbitrários. Chegou-se a um ponto onde os pais têm dificuldade até em dizer uma simples palavra: não. O medo de ser visto como uma mãe ruim é grande e a culpa fica sempre presente.

Contos de fada e o ideal de perfeição materna

Mas os contos de fada, como sempre, já nos falavam disso: o perfil da madrasta, por exemplo, é frequentemente associado a comportamentos malvados. No entanto, é bom lembrar que a maternidade inclui a parcela madrasta, mesmo quando estamos lidando com nossos próprios filhos. O difícil é reconhecer esse sentimento em si mesma. A rejeição a um filho ou filha em determinado momento, características ou momento de sua própria vida gera confrontos com nossas dificuldades, mas também levam a um grande aprendizado. Reconhecer e integrar bem esse aspecto é expansivo para a personalidade, já que quando negamos a sua existência acabamos boicotando o crescimento do filho sem querer.

Existe ainda o fato de que a tríade "pai + mãe + filho" é para nós uma premissa de família saudável. No entanto, os arranjos familiares pouco importam, enquanto o amor e o cuidado estiverem presentes na educação e no crescimento dos filhos. Voltamos ainda com o exemplo da Islândia, lugar no qual o incentivo para "ficar juntos pelas crianças" não existe. Os islandeses entendem que as crianças ficarão lindamente bem, porque toda a família irá juntar-se em torno deles e seus aniversários serão lotados por muitos primos, tios, avós, pais e mães.

Sem levar ao pé da letra, vale lembrar que se não fosse a Madrasta da Branca de Neve, por exemplo, a princesa teria ficado infantil e imatura para sempre no castelo do pai.

Assim, o que a priori poderia ser visto como negativo torna-se um motivo de crescimento e desenvolvimento para os filhos. Cumprir o "roteiro mãe" sem fazer essas reflexões, pode acabar prejudicando muito a atmosfera afetiva que rodeia uma mulher. Ao tomar consciência de todas essas questões, a pessoa que está levantando possibilidades de vir a ser mãe ou até sofrendo com o tema e as exigências, pode resolver essas pendências consigo mesma e tomar suas decisões de maneira mais completa.


Fonte: Personare

sábado, 16 de maio de 2015

7 idéias que aproximam crianças da política e da cidadania

Às vésperas das eleições, a política parece estar em todo o lugar. No entanto, para aqueles com menos de 18 anos, a questão fica um pouco mais distante, como algo apenas para os adultos. Reduzir este distanciamento e desenvolver a cidadania das crianças e adolescentes é um dos desafios postos à educação, uma vez que a participação e o exercício político faz parte do desenvolvimento integral das pessoas.

Estimular e desenvolver o espírito crítico, a consciência política e o desejo de participação nas questões decisórias da sociedade são tarefas que extrapolam os muros das escolas e demandam apoio de outros atores e setores. O Centro de Referências em Educação Integral listou 7 iniciativas em que escolas se apoiaram em outros atores para fortalecer o desenvolvimento da cidadania de crianças e adolescentes. Confira!

1. Tribunal Regional Eleitoral (DF) entra nas escolas
Com programas voltados a estudantes desde o primeiro ano do ensino fundamental até o ensino médio, o Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal busca sensibilizar para a importância da cidadania e da participação política. O projeto “Inclusão Social desde a Infância”, voltado a crianças do 1º ao 5º ano do ensino fundamental, busca o desenvolvimento de valores ligados à cidadania. Por meio de um teatro de fantoches, personagens folclóricos assumem bandeiras e pedem voto aos estudantes, que posteriormente elegem a proposta mais interessante.

Na fase seguinte, do 6º ao 9º ano, os alunos são convidados a comporem partidos e pensarem políticas públicas ligadas a um determinado tema, como drogas, violência doméstica, bullying e exploração sexual infantil. Para os adolescentes do ensino médio, a iniciativa do TRE busca também estimular o despertar de lideranças tanto para o grêmio quanto para a política. No programa “Eleitor do futuro”, o TRE também apoia a realização das eleições para o grêmio.

2. Projeto Eleitor Mirim
A cada ano, o plenário da Câmara dos Deputados é tomado por estudantes do 5º ao 9º ano, que ocupam os lugares dos deputados federais e debatem propostas para a melhoria de suas realidades. É o Projeto Eleitor Mirim do Plenarinho, iniciativa da Câmara em parceria com escolas de todo o país. Após o período de inscrição, são escolhidas cinco escolas, que então ficam responsáveis por criar um partido com candidato e programa definido. Na atual edição, quatro escolas irão à Brasília com candidatos fictícios que irão apresentar e debater suas propostas. Os projetos selecionados serão divulgados no dia 23 de setembro e a ida à Brasília será dia 30 de outubro. A iniciativa que ocorre há oito anos já teve sete propostas apadrinhadas pelos deputados e transformadas em projetos de lei.

3. Prêmio Crianças do Mundo 
Anualmente, crianças e adolescentes de todo o globo se mobilizam para eleger uma personalidade de destaque na defesa de seus direitos. A partir de indicações de organizações sociais, um júri formado por pessoas com menos de 18 anos elege três candidatos que serão votados por crianças de todo o mundo. O processo de eleição é precedido por formações sobre direitos, participação social e democracia, e por debates sobre a atuação dos candidatos. Os votos são enviados à organização na Suécia que contabiliza. A iniciativa envolve 110 países [entre eles o Brasil] e quase 60 mil escolas.

4. Câmara Mirim de Joinville 
Desde 2000, a Câmara Municipal de Joinville (SC) abre espaço para os estudantes do 5º ao 7º ano do ensino fundamental debater propostas para suas escolas e comunidades. As atividades têm início com o processo eleitoral dentro de cada escola, com os alunos interessados se candidatando e fazendo campanha com suas propostas. O estudante com mais votos junta-se aos escolhidos pelas outras escolas e passa por uma formação na Escola do Legislativo da Câmara de Joinville. Juntos, os vereadores mirins debatem iniciativas de melhorias da realidade e, após chegarem a um consenso, enviam a proposta aos órgãos responsáveis. Uma das propostas que foram levadas adiante pela prefeitura foi a instalação de laboratórios nas escolas e de melhoria em espaços escolares.

5. Conselho Municipal de Meninos e Meninas de Toulouse, na França
Nesta iniciativa francesa, participam crianças do 4º ano da educação primária (entre 9 e 10 anos de idade) que são eleitas pelos seus colegas para um mandato de dois anos. O Conselho Municipal é subdividido em conselho distritais, garantindo a diversidade da cidade. A partir de suas comunidades, as crianças identificam as necessidades, formulam projetos e levam ao Conselho Municipal. Já foram propostas ações como a criação de comissões regionais para pessoas com dificuldade de locomoção e deficiências físicas e a instalação de centros de empréstimo de bicicletas próximas às escolas, com a possibilidade de crianças utilizarem o serviço sem a presença dos pais.

6. Orçamento participativo criança em Santo André (SP)
No município paulista, crianças do ensino infantil e fundamental são convidadas a contribuir nos debates do orçamento participativo da cidade. Cada escola elege seus representantes mirins que irão participar das audiências do orçamento participativo. No entanto, antes de participar das reuniões, as crianças identificam em suas escolas e bairros demandas e problemas para poder pleitear ações e soluções. Em 2014, foram realizadas 66 propostas pelas crianças.

7. Conferências Lúdicas de Pinheiros
Com o intuito de efetivamente dar espaço à voz de crianças e adolescentes, as conferências lúdicas trazem um formato diferente de debate. Por meio de oficinas, crianças e adolescentes constroem suas propostas em relação a diferentes temas de interesse coletivo, como meio ambiente e sexualidade, que são então levadas até a conferência nacional. Na região de Pinheiros na capital paulista, a conferência em 2011 reuniu cerca de 300 jovens que puderem participar de 13 oficinas temáticas.


quarta-feira, 6 de maio de 2015

50 Decisões Vitais Para o Futuro De Seu Filho - Parte II

11 // Adotar a comunicação positiva
“A melhor forma de educar seu filho para o sucesso é descobrir as qualidades que ele tem e fazer com que ele as desenvolva. Isso vale mais do que criticar ou educar por meio de repreensões”, garante Flora Victoria, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Coaching.

12 // Não se contentar com o boletim
“Quando seu filho não aprende um conceito essencial, a tendência é que ele passe a acumular dúvidas e se torne cada vez mais resistente aos estudos”, diz Wanda Engel. Daí a importância de não apenas consultar o boletim da criança, mas de acompanhá-la no dia a dia para ajudá-la a superar as dificuldades. Se for o caso, contrate um professor particular.

13 // Discutir soluções
Se ele quebrar o vaso da avó, não diga: “Está tudo bem. Vamos comprar outro”. Estimule-o a pensar perguntando: “E agora? O que acha que devemos fazer? Como evitar que a vovó fique chateada?” “Assim, você ensina seu filho a manter o foco na solução”, garante Flora Victoria.


14 // Trocar a babá pela escolinha
Pesquisas mostram que crianças que tiveram uma pré-escola estimulante tendem a ser melhores estudantes no futuro. Certifique-se de que a instituição prioriza o brincar e incentiva a criatividade.

15 // Dar a bronca-sanduíche
Ela é mais eficaz. No momento de repreender, comece falando com o filho sobre os pontos fortes dele. Depois, exponha o que pode ser feito de outra forma e, então, finalize com palavras de motivação.

16 // Falar bem do seu trabalho
Aposente o discurso “Preciso trabalhar para ganhar dinheiro” e troque por “Vou trabalhar porque gosto”. Refira-se a sua atividade profissional como fonte de realização, não como um fardo.


17 // Informar-se sobre as novas vacinas
Há cada vez mais doses preventivas que podem ser aplicadas na adolescência e na vida adulta. “Essa tendência deve se fortalecer”, avisa o pediatra Eduardo da Silva Vaz, presidente da Sociedade Brasileira de Pediatria.

18 // Estudar seu filho
Leia tudo que considerar confiável sobre desenvolvimento infantil. “Pais que se informam têm mais parâmetros para avaliar se a criança está crescendo conforme o esperado e estabelecem maior cumplicidade com ela”, garante o pediatra e nutrólogo Fabio Ancona Lopez, professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e autor de Avós e Netos – Uma Forma Especial de Amar (Manole).

19 // Adotar cedo o check-up anual
É importante que seu filho se acostume a ir ao médico para manter-se saudável, e não apenas para tratar doenças. Com o acompanhamento constante, é possível adotar estratégias de prevenção.

20 // Aliviar a agenda
Ao impor à criança uma rotina sem tempo para brincadeiras e descanso, você colhe mais desvantagens que benefícios. “Ela é candidata a stress, baixa imunidade, dificuldades de relacionamento e dores no corpo”, avisa o pediatra Fabio Ancona Lopez.



(Fonte: Revista Claudia)

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Dica de Passeio: Parque do Mirante

A área do Mirante foi desapropriada em 1895. Apesar disso, a atual construção que conhecemos surgiu apenas em meados dos anos sessenta, na gestão do prefeito Salgot Castillon. Sem dúvida, é um dos pontos preferidos para visitação, tanto pelos turistas quanto pelos moradores da cidade, devido á visão privilegiada que se tem do rio, do salto, da Rua do Porto e da cidade.



Considerado um pequeno bosque formado por árvores nativas e vegetação típica, possui alamedas que permitem caminhadas agradáveis e apreciação do seu interior, que retrata a história de Piracicaba. Um painel confeccionado em mosaico da artista Clemência Pizzigatti também faz parte de seu atrativo turístico pela sua beleza e riqueza de detalhes históricos que são retratados.





O Parque do Mirante contorna toda a extensão do Salto, proporcionando uma visão panorâmica da cachoeira "Véu da Noiva" e das curvas do rio. Recentemente o parque foi restaurado e revitalizado.



segunda-feira, 20 de abril de 2015

Experiências Científicas Em Casa: Chuva!

Que tal aproveitar a época de chuvas para fazer algumas experiências científicas com as crianças? E o melhor, você pode fazer tudo no conforto da sua casa, com materiais que você já tem. A dica é da Revista Recreio, que ensina dois experimentos para entender como a chuva funciona. Confiram:

Faça um barômetro em casa

Materiais:
  • 1 pote plástico
  • Massa de modelar
  • 1 régua
  • Água
  • 1 garrafa pet
  • 1 tira de papel
  • Fita adesiva
Como fazer:
  1. Prenda a massinha no canto do pote e fixe a régua na massinha.
  2. Encha o pote com 8 centímetros de água e a garrafa com mais ou menos dois terços.
  3. Tampe a garrafa com a mão e, com cuidado, vire-a de cabeça para baixo no recipiente.
  4. Cole a tira de papel na garrafa e marque o nível de água dia a dia.
O que acontece: o barômetro mede a pressão atmosférica. Se o clima está seco, o nível da água sobe, porque a pressão aumenta e empurra a água. Já quando o clima está úmido, a pressão diminui e o nível de água desce. Aí há boa chance de chover.



Entenda a evaporação da água

Material:
  • 2 potes de vidro
  • Giz de cera ou caneta permanente
  • Papel-alumínio
Como fazer:
  1. Coloque água até a metade dos potes e marque os dois níveis de água com giz.
  2. Cubra um dos potes com papel-alumínio e deixe os dois em um lugar aberto por cinco dias. Não deixe que a chuva caia dentro dos potes!
  3. Compare e note que o pote coberto terá mais água.
O que acontece: com o calor, a água dos dois recipientes evapora. No pote coberto, o papel-alumínio impede o vapor de escapar. Aí ele se condensa, mantendo o nível de água. Já com o pote descoberto acontece o mesmo que com as poças de água formadas pela chuva: o calor faz com que evaporem.


quarta-feira, 15 de abril de 2015

7 momentos prazerosos para viver em família

Você tem passado tempo suficiente com sua família? Se a resposta foi "não", saiba que mesmo em meio à correria do dia a dia é possível reservar algum momento para realizar atividades com essas pessoas tão queridas. Brincadeiras divertidas e dicas simples de Feng Shui, aromas e cores podem ajudar a estreitar os laços com os familiares, encurtar distâncias e ainda oferecer mais bem-estar para sua vida.

Abaixo você encontrará sugestões simples de colocar em prática para reunir a família em atividades nas quais todos podem participar e, principalmente, se divertir. Não importa se você não tem filhos ou se eles já estão chegando à adolescência ou vida adulta. Quando toda a família está reunida é possível resgatar um pouco da infância de cada um e explorar de forma divertida e bem humorada os encontros familiares.

quarta-feira, 8 de abril de 2015

Receitinhas: Fast Food do Bem - Dra. Jackeline Taglieta

Você tem criança em casa que não pode ver um “verdinho” no prato que já não come todo o restante da comida? Ou sua criança come bem verduras e legumes mas você quer incrementar e deixar a comida do dia-a-dia mais atrativa aos olhos dela? Confira essas receitas de “Fast Foods” que as crianças adoram e nem dirão “eca” para o espinafre, abobrinha e cogumelos que terão acabado de comer! Ah, os adultos podem se deliciar também junto às crianças!! Bom apetite e ótima saúde para toda família!!

NUGGETS DE TOFU
(com espinafre ou brócolis)

Ingredientes
1 xícara (chá) de farinha de rosca integral
1 colher (sopa) de linhaça moída
1 colher (sopa) de parmesão ralado light
½ colher (chá) de páprica
1 xícara (chá) de espinafre cozido e amassado até virar purê (ou brócolis)
1 ovo caipira grande, ligeiramente batido
400g de tofu firme (de preferência orgânico)
½ colher (chá) de sal marinho
Óleo de canola ou soja para untar
1 colher (sobremesa) de azeite de oliva extravirgem

Modo de preparo
Em uma tigela, misture a farinha de pão, linhaça, parmesão e a páprica. Reserve. Em outra tigela, misture o purê de espinafre com o ovo, batendo com um garfo. Reserve.
Corte o tofu em cubos (ou use cortador de biscoito, com formatos divertidos). Polvilhe ambos os lados com sal. Mergulhe os pedacinhos de tofu na mistura de ovo e espinafre, e depois passe cuidadosamente na farinha temperada, para esconder o purê.
Unte uma frigideira grande com óleo e leve para aquecer em fogo médio. Quando esquentar, acrescente o azeite. Distribua o tofu aos poucos na frigideira, sem sobrepô-los (e não encha demais a frigideira). Doure por 3 a 4 minutos de uma lado, vire-os e doure o outro lado por mais 2 a 3 minutos, até ficar crocante e uniforme.
Rendimento: 4 porções
Receita adaptada do livro Deliciosos e Disfarçados – Jessica Seinfeld - 2008


HAMBURGUNHOS
(com cogumelos e abobrinha)

Ingredientes
450g de carne moída magra
225g de champignon frescos (cozidos no vapor) ou cogumelo shitake (aparados e picadinhos)
1 xícara (chá) de farinha de rosca integral
¼  xícara (chá) de abobrinha picadinha
1 colher (sopa) de molho inglês
2 colheres (sopa) de catchup
½ colher (chá) de sal marinho
1 pitada de pimenta
Óleo de canola ou soja para untar
1 colher (sobremesa) de azeite de oliva extravirgem
16 pãezinhos de hambuguer (de preferencia integrais) para servir, com folhinhas de alface e tomate fatiado.

Modo de preparo
Em uma tigela, misture bem a carne, a farinha de pão, os cogumelos, a abobrinha, o molho inglês, o catchup, o sal e a pimenta. O resultado é uma massa úmida. Modele os 16 hamburguinhos e deixe descansar em papel manteiga.
Unte uma frigideira grande com óleo e leve para aquecer em fogo médio. Quanto estiver quente, coloque o azeite e frite os hambugueres, de 4-5 minutos de cada lado, até que estejam completamente cozidos no centro. Servir com os pãezinhos, alface e tomate. Pode variar, colocando pepino, cenoura também como recheio.
Dica: ao invés de ser usado para sanduichinhos, pode ser o prato principal, acompanhado de arroz integral e feijão, por exemplo.
Rendimento: 16 unidades pequenas
Receita adaptada do livro Deliciosos e Disfarçados – Jessica Seinfeld - 2008

Jackeline Taglieta
Nutricionista